Tribunal esportivo rejeita pedido de atleta transgênero para disputar vaga nas Olimpíadas de 2024

3 weeks ago 43
ARTICLE AD BOX

A controvérsia envolvendo a questão de gênero dos atletas em competições esportivas ganhou um novo capítulo na semana passada. A nadadora transgênero Lia Thomas teve seu pedido para disputar uma vaga de participação nos Jogos Olímpicos de 2024 negado. A atleta questionava a legalidade das normas impostas pela Federação Internacional de Esportes Aquáticos (FIEA) para inscrições na categoria feminina. 

 Thomas alegava que, ao negar sua inscrição nas provas, a entidade estaria violando seus direitos. O impasse começou porque a FIEA tem como norma aceitar como participantes das seletivas femininas apenas atletas trans que não tenham passado pela puberdade como meninos. Isso significa possuir maior nível de  i testosterona no organismo. O objetivo é manter a competitividade do esporte. 

Thomas realizou sua transição apenas em 2019, quando tinha 20 anos. Dessa forma, estaria inapta a disputar uma vaga nos Jogos Olímpicos de Paris,na categoria feminina, informou o jornal britânico The Guardian.   

Inconformada com a decisão, a nadadora entrou com uma ação no Tribunal Arbitral do Esporte (CAS) para tentar impor à entidade a aceitação dela como uma das competidoras por uma vaga nos jogos. Ao analisar o caso, os juízes entenderam que Thomas não tem o direito de fazer tal pedido. 

A decisão sustenta que as exigências da FIEA não ferem nenhum direito civil da nadadora, tampouco ameaça sua dignidade. Sendo assim, indeferiu o caso.

Leia o artigo inteiro