Preso por matar travestis a tiros vai a júri popular nesta quinta-feira em Rio Preto - G1

2 years ago 1326
ARTICLE AD BOX

Além de assassinar duas vítimas, Benedito de Jesus Carvalho atirou e feriu outras duas travestis. Crimes foram registrados no dia 15 de agosto de 2012, com apenas uma hora de diferença entre o primeiro e o último.

Suspeito chegando à delegacia e arma usada nos crimes em Rio Preto — Foto: Arquivo pessoal

O júri popular de Benedito de Jesus Carvalho, preso por matar a tiros duas travestis e tentar assassinar outras duas, será realizado nesta quinta-feira (11), em São José do Rio Preto (SP). Os crimes foram cometidos no dia 15 de agosto de 2012, com apenas uma hora de diferença entre o primeiro e o último.

Carlos Eduardo Vasconcelos e Abelardo dos Santos Freire, que se identificavam como Eduarda e Isabeli, não resistiram aos ferimentos. Júlio César Bercelini e Gledston Quintino Zaquini, cujos nomes sociais são Jully e Renata, sobreviveram.

De acordo com a Polícia Civil, Benedito de Jesus foi preso no dia 17 de agosto de 2012, próximo ao aeroporto de Rio Preto. Ele é ex-policial militar e foi expulso da corporação por assassinar menores de idade.

Além de ser reconhecido por uma das vítimas, o suspeito escondia uma arma de fogo, três capacetes, celulares e a camisa usada no dia dos ataques dentro da pensão onde morava.

Na época em que os crimes foram cometidos, uma travesti também foi presa suspeita de encomendar a morte das vítimas, mas acabou sendo impronunciada pela Justiça.

O Código de Processo Penal explica que a impronúncia é uma decisão em que o juiz, diante da ausência de provas quanto à materialidade ou indícios suficientes de autoria ou de participação, nega seguimento à ação penal.

De acordo com o Ministério Público (MP), Benedito de Jesus foi denunciado por dois homicídios qualificados e duas tentativas de homicídio qualificadas. Ele pode ser condenado até 70 anos de prisão.

Investigações da Polícia Civil apontaram que Benedito convidou a travesti Eduarda para um programa sexual. Aproveitando-se do fato de a vítima estar ajoelhada em uma estrada de terra, o suspeito desferiu dois disparos e a matou.

Benedito, então, subiu na motocicleta que pilotava, dirigiu até a Avenida Cenobelino de Barros Serra e chamou a travesti Isabela para um programa sexual. O autor esperou a vítima virar de costas, realizou um disparo e também a matou.

Logo depois, o suspeito voltou à esquina da rua em que assassinou Isabela, apontou o revólver para a travesti Jully e atirou duas vezes, atingindo a mão e o ombro da vítima.

Segundo o Ministério Público, Benedito saiu em direção ao centro de Rio Preto sorrindo e mandando beijos aos demais travestis que estavam na rua.

Ao chegar ao centro, o suspeito avistou a travesti Renata ao telefone, parou a motocicleta e disparou na direção da vítima, atingindo-a na mão.

O promotor José Márcio Rossetto Leite destacou na denúncia que Benedito ainda atribuiu a si falsa identidade, utilizando documentos e nome de uma terceira pessoa para escapar da responsabilidade penal.

Veja mais notícias da região no g1 Rio Preto e Araçatuba

VÍDEOS: confira as reportagens da Tv Tem

Newsletter G1Created with Sketch.

O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.

Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.

Obrigado!

Você acaba de se inscrever na newsletter Resumo do dia.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!

Leia o artigo inteiro